sexta-feira, 15 de outubro de 2010

___meus hiatos


...

As palavras estão em mim, mas eu não as escrevo. Têm um gosto de sal e de chuva, chegam a deslizar pelaminha garganta, mas eu me calo.
Fazem ruídos descabidos, como em um 31 de dezembro, em Copacabana, porque também resplandecem, mudam de cor, explodem, festejam-se a si e a um mundo que não comprendem.
As palavras não partiram. Vivem.
Mas são tantas e, no momento, causam tamanha dor, que eu as deixo à margem, deixo que fiquem a bordejar a avenida molhada de chuva e lágrimas que, neste momento, eu sou.

...

______________imagem: do blog 'o encanto das palavras'

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

____seguir [es]


...

Esquisito este seguir que só percebo quando paro e ouso olhar para meus pés.
Estão prontos para uma nova estrada - estirada -, ou parados, atônitos, inexatos?
Descubro, depois de um ou dois goles de vida, que não importa o que haja,
o próximo passo, eu darei.
Você também.

...

______________________imagem: agla.