domingo, 30 de agosto de 2009

______eu me deito, caminho...



Algumas vezes a gente sente como se fosse o próprio caminho, em vez de o caminhar. Alternam-se as sensações, os sentimentos. Alternam-se os pensamentos e aquilo em que acreditamos. Não somos, em nossa alma, todos nós, linhas retas. Antes, temos formas tortuosas com as quais nos ocupamos sem sabermos para onde seguimos e é isso que nos faz ser quem somos. De que falo? Eu me repito aqui, como uma ave que volta toda primavera para o mesmo lugar buscando o aconchego para reconstruir seu ninho. Eu me repito e incansável que sou, refereindo-me ao que todos nós somos e sentimos e pensamos como seu conhececesse a fundo a alma humana. Não é verdade. Nada sei. Nada conheço além do pequeno cômodo no qual resido, que ocupo lenta e onde dormito, coberta de calor - ora abafado, ora benfazejo. Entretanto, volto a repisar minhas tênues pedras, as que me fazem caminho, calçada em paralelepípdedos. A nada estou nivelada, como muitos, acredito, também não estão. Os pés alheios não me ferem. Apenas me fazer recordar da necessidade que sobre mim estejam para que eu aprenda e me deitar, mansamente, sobre a terra de que me fez a vida, o caos, a Lei, o amor, a magia suprema de dias antigos que se repetem, jamais em vão.

A.

_____________________imagem: gerard koehl

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

______mais um hiato

Onde estava a palavra, no instante seguinte, quando a vida se vestiu em sépia para fazer algum sentido? Ela pareceu perdida e ida com o vento que soprava forte e vinha de trás de alguma colina de esperança. Talvez tenha pairado por uma fração de segundo no ar.
Talvez tenha se sustentado ali até que uma gota da chuva primeira tenha caído, ligeiramente salgada, ainda, como a lembrança que trazia do mar.
Mas...não é certo...na verdade, não sei...e prossigo questionando, como questiono tudo ao meu redor, ainda que, calada, sinta uma saudade imensa de um tempo em que, menina, eu tinha as respostas exatas, precisas, contadas em frases cirúrgicas.
A.
______________________________

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

_____repensar




Sinto o mutante batismo que arde em minhas veias de poesia.

Mais tarde, quando eu me deitar, serei apenas silêncio e não será importante o manejar das palavras.
Repenso o dia que vivi da mesma forma como repensei e repisei caminhos que percorri e nos quais descansei sempre que uma sombra amiga me chamava.
Tivesse prosseguido, talvez evitasse encontros que me fizeram mal ou, quem sabe, chegasse a ver um rosto que procurei [procuro?] por tantos dias, em vão.
Trata-se de escolhas.Sempre.



A.

_________________________imagem: do blog 'a pensadora'