quinta-feira, 21 de maio de 2009

____costurando


Eu tenho uma irmã-de-alma que usa, com muita sapiência e propriedade, a expressão "isso foi costurado [ou alinhavado] com capricho pelo Homem lá de cima".
E sempre me pego pensando nisso quando deparo com situações, circunstâncias
para as quais não se pode dar nenhuma explicação 'lógica'
[se bem que, para mim, lógica é isso também e inclusive].
Navego pelos dias a perceber momentos, pessoas, gestos, atos, enfim acontecimentos assim, devidamente costurados pelo Grande Caprichoso,
o Condutor que nos dá aos caminhos e nos dá a possibilidade de caminhar.
Não me atrevo aqui a me aprofundar em questões religiosas ou mesmo filosóficas.
Sou pequena para isso.
Tudo o que vejo e sinto faz parte da visão e da intuição de uma mulher de meia-idade
que ainda não saiu de sua adolescência espiritual;
eu apenas evoco a beleza e a simplicidade da vida.
É o que faço quando escrevo.
Quando me dirijo aos peregrinos que, como eu,
preferem arriscar-se simplesmente à entrega de si em direção ao outro.
E esse é um gesto que pode ser perfeitamente comparado a um ponto, um alinhavo.
Assim, tudo o que realmente importa é seguir a linha, colocá-la com toda a paciência naquele buraco mínimo da agulha, usar um bom dedal
- porque [ah!] a gente vai se machucar...e como! -
e ensaiar os pontinhos...pequenos, tímidos que sejam, mas com o maior capricho possível.
Afinal...querendo ou não, formamos todos uma imensa e linda [por que não?] colcha de retalhos.
É preciso fazer valer.
Cada ponto.
Cada alinhavo.
É preciso.

.

A.

Nenhum comentário: