sexta-feira, 16 de julho de 2010

_____em tempo, o tempo







E por aí vai o tempo.



[insisto no tema!]



A madeira do banco da praça



está gasta: o dilúvio do relógio dos mil ponteiros



passou por ali.



.



É...



por aí vai o tempo.



Por que não reconheço o moço
que morava ali, na esquina,
e que, hoje,
de cabelos grisalhos,
faz de conta que
o lugar é "de menos" para ele?

O medo da vida,
o embrulho do medo
passou por ali



.
E tanto faz mudar
e estar
e ser:
o tempo invoca saudades
e sonhos
e carrega
frases,palavras e canções
.
Fico à toa, no tempo,
mas não à margem de seu poder.




...

[e por aí vai...]

____________________imagem: czarna

Nenhum comentário: