quarta-feira, 7 de julho de 2010

___resquícios de medo - 1.




...



Definiu seu medo como se ele tão óbvio qanto cada amanhecer e saiu: destrancar o portão era um gesto quase surreal e, se sentisse suas mãos, frias, saberia que estava superando-se . Mais do que poderia acreditar ser possível.

Pensou, ao mesmo tempo em que dava o primeiro passo, já na rua, que era, enfim, a primeira vez que saía depois de dois longos anos. Na verdade, uase três, se esperase mais uns três meses.

Lembrou-se de Louis Armstrong, em 1969, quando pisou na árida e distante Lua: 'um pequeno passo para um homem..'. Sorriu. Isso acontecera havia mais de quarenta anos!

Ali estava,chegando aos seus ouvidos, o burbrinho das ruas que se encontravam na esquina próxima à casa antiga. Os ruídos a invadiam e causavam uma certa fraqueza nela, coisa de amolecer as pernas, achou que fosse cair...tocou o muro, resistiu.

Mas...e o segundo passo?



...





Um comentário:

Beto Palaio disse...

Aglaé, lindo poema... Imagino o Louis Armstrong cantando isso na lua...

http://www.youtube.com/watch?v=-CKpv8CYudw

bjs