quarta-feira, 11 de março de 2009

_____texto sem nome, sem nada


.
As peças de um quebra-cabeça dançam em minha mente.
Espalham-se e unem-se vezes sem -conta... e se soprepõem a algumas marcas minhas
- as que eu defini que seriam minhas para sempre.
Mas, como diz o poeta, "sempre não é todo dia".
E, assim, as peças precisam que eu as reuna,
sempre que se entregam ao caos delicioso de seu brinquedo.
Quanto à parte incansável de mim - a que aposta no "sempre" - essa enxerga as cores do quebra-cabeça montado, pronto.
Nada além.
A.
__________________________________imagem : p.

Nenhum comentário: