quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

_____não estacione


Não gosto de proibições.
Prefiro considerá-las limites : são necessários e quem é pai/mãe sabe disso tão bem quanto eu.
Pois bem.
Uma de minhas 'brigas' é justamente algo que soa como uma espécie de delimitação.
Para que não se estacione, de forma alguma.
A vida, em seu sentido mais amplo, é veloz!
Os fatos, os atos, as coisas, as gentes, movem-se como que num caleidoscópio gigante e não há que se permitir parar: de aprender, crescer, beber da fonte das ideias, da arte, da cultura, da humanidade. Para que se escreva/desenhe/cante/viva/mude a história.
De todos nós.
É isso.
____________________________________________A. [imagem, mais uma viagem minha, pelas ruas da cidade]

Um comentário:

Paulo Braccini disse...

O SER que ESTACIONA deixa de SER para ESTAR ... e não pode haver coisa mais irrelevante que uma pessoa que deixa de VIVER para simplesmente PASSAR pela vida ...

magnificamente bela e filosófica esta sua reflexão ...

bjux

;-)