quinta-feira, 23 de outubro de 2008

_________motivos



Cecília Meireles tinha um jeito muito próprio e ao mesmo universal de dizer - de se dizer.

Escreveu:

"Eu canto porque o instante existe e a minha vida está completa. Não sou alegre nem sou triste: sou poeta." ( em *Motivo*)

Hoje fiquei pensando nisso. No porquê de escrever, de cantar, de contar histórias. Fiquei imaginando por que faço isso se quase ninguém me lê. Ora, bobagem, ego ferido, coisa que o valha. Porque também eu escrevo porque amo escrever. Mais do que isso: escrevo porque escrever para mim é ato natural e próprio, adequado perfeitamente aos momentos que se seguem assim como os dias de minha vida-passagem.

Escrevo, porque a palavra é para mim como tinta e pincel. E corro a colorir sobre o cinza, criando cores que só para mim vibram e brilham.

A.

____________________________________

imagem: chris sofopoulos

Nenhum comentário: